•  Hotel em Campos do Jordão - Programação Musical do Hotel Hotel Toriba, Campos do Jordão

Estar no Toriba faz bem!

M

Toriba Musical

Programação

Para você ficar por dentro da
boa música do toriba

A programação musical do Hotel Toriba, sob a direção artística de Antonio Luiz Barker, é cuidadosamente preparada para enobrecer essa belíssima arte e presentear os nossos hóspedes com repertórios diversos como: piano clássico, jazz, recital de canto, música lírica, árias de ópera, música brasileira, bossa nova, e muito mais.

Acompanhe aqui toda a programação que preparamos especialmente para vocês, hóspedes do Toriba, frequentadores do Toribinha Bar & Fondue, do Pennacchi Restaurante e do Chá da Tarde. Programem-se para assistir aos espetáculos. É mais uma das muitas razões para vocês virem ao Toriba, hotel em Campos do Jordão.

O Toriba, o hotel mais musical de Campos do Jordão, tem vários eventos musicais todas as semanas. Os eventos integram o programa Toriba Musical e são realizados na Sala da Lareira, no Toribinha Bar & Fondue e agora também no Auditório Claudio Santoro. São gratuitos para hóspedes do hotel e para clientes do Terraço Panorama, do Bar Vindima e dos restaurantes Pennacchi e Toribinha Bar & Fondue. E gratuitos a todos os interessados quando no Auditório Claudio Santoro.

programação musical - ABRIL 2019

 Hotel em Campos do Jordão - Árias de Óperas com o barítono Sebastião Teixeira e o pianista Antonio Luiz Barker na programação do Toriba Musical, no Hotel Toriba
Sábado, 6 de Abril, 19 horas – Sala da Lareira

ÁRIAS DE ÓPERAS

Sebastião Teixeira - barítono
Antonio Luiz Barker - piano

Programação:
• W. A. Mozart - Deh, vieni alla finestra (ópera Don Giovanni)
• W. A. Mozart - Non più andrai (ópera As Bodas de Fígaro)
• G. Verdi - Di Provenza il mare, il suol (ópera La Traviata)
• C. Gomes - Sospettano di me (ópera Lo Schiavo)
• C. Gomes - Era un tramonto d'oro (poema sinfônico Colombo)
• G. Rossini - Largo al factotum (ópera O Barbeiro de Sevilha)
• G. Bizet - Votre toast (Toreador Song) (ópera Carmen)

 

Consagrado pela crítica especializada, o barítono Sebastião Teixeira é reconhecidamente um dos melhores cantores líricos brasileiros da atualidade. Foi por duas vezes premiado pela APAC-Associação Paulista dos Críticos de Arte, em 1985 e 1987, na categoria de melhor cantor erudito. Recebeu também o Prêmio Carlos Gomes, em 2001 e no mesmo ano foi condecorado com a Medalha da Honra ao Mérito, pelo Collegium Musicum da Fundação Clóvis Salgado. Desde 1999, quando de sua interpretação do índio Iberê na ópera Lo Schiavo de Carlos Gomes, passou a ser considerado o mais destacado cantor da obra do compositor campineiro de Carlos Gomes – o que o levou a receber em 2010 a Medalha Carlos Gomes, concedida pela Prefeitura Municipal de Campinas. Ao longo de seus 30 anos de carreira Teixeira já interpretou os principais papéis operísticos para barítono – nas óperas Il Barbiere di Siviglia, La Bohème, Carmen, La Forza del Destino, Don Pasquale, Madama Butterfly, Cavalleria Rusticana, I Pagliacci, Pelleas et Mélisande, Les Pêcheurs de Perles e Il Trovatore, entre tantas outras.

Hotel em Campos do Jordão - Árias e Duetos com a soprano Karen Stephanie, o barítono Johnny França e o pianista Antonio Luiz Barker, no Hotel em Campos do Jordão, Toriba
Sábado, 13 de Abril, 19 horas – Sala da Lareira

ÁRIAS, DUETOS, CANÇÕES

Karen Stephanie - soprano
Johnny França - barítono
Antonio Luiz Barker - piano

Programação:
• G. Rossini - Largo al factotum (ópera O Barbeiro de Sevilha)
• G. Puccini - Quando me'n vo' (ópera La Bohème)
• W. A. Mozart - Là ci darem la mano (ópera Don Giovanni)
• G. Bizet - Votre Toast (Toreador Song) (ópera Carmen)
• G. Gershwin - Bess, You Is My Woman Now! (ópera Porgy and Bess)
• C. Santoro / V. de Moraes:
• • • Acalanto da rosa (2., Canções de Amor, 1ª série)
• • • Pregão da saudade (2., Canções de Amor, 2ª série)
• • • Amor em lágrimas (2., Três Canções Populares)
• • • Ouve o silêncio (1., Canções de Amor, 1ª série)
• • • Em algum lugar (4. Canções de Amor, 2ª série)

 

A soprano Karen Stephanie formou-se em piano pelo conservatório de Piracicaba Maestro Ernest Mahle e logo após ingressou na Universidade de São Paulo, câmpus de Ribeirão Preto, onde graduou-se em Licenciatura em Música. Iniciou estudos de canto em 2011, tendo como professores Céline Imbert, Juliana Starling e Paulo Mandarino. Em 2014-2015 cursou o Opera Studio da EMESP, sob orientação de Mauro Wrona. Entre suas participações em ópera estão Violetta de La Traviata, Adele de Die Fledermaus, Madama Cortese de Il viaggio a Reims e Anna de Nabucco. Em 2014 recebeu o prêmio de cantora revelação no concurso Carlos Gomes.

O barítono Johnny França, formado pela Academia de Ópera Theatro São Pedro e pela Ópera Studio EMESP, venceu as 12ª e 14ª edições do Concurso Brasileiro de Canto Maria Callas. Sob direção de Mauro Wrona interpretou Marcello na ópera La Bohème, Fígaro em Le Nozze di Figaro e Einsenstein em Die Fledermaus. Atuou também em óperas como Porgy and Bess, A Viúva Alegre, Carmen, La Cenerentola, Le Nozze di Figaro, Yevgeni Onegin e O Menino e a Liberdade (esta de Ronaldo Miranda).

 Hotel em Campos do Jordão - Salut D'Amour, concerto de violino com os violinistas Yuruy Rakevich e Inna Meltser, no Hotel em Campos do Jordão, Toriba
Sábado, 20 de Abril, 19h30 – Sala da Lareira

SALUT D'AMOUR

Yuriy Rakevich, violino
Olga Kopylova, piano
Inna Meltser, violino (participação especial)

Neste sábado, os hóspedes do Hotel Toriba, em Campos do Jordão, terão o privilégio de assistir a um recital dos mais especiais, com o violinista Yuriy Rakevich e a pianista Olga Kopylova, e ainda com a participação especial da também violinista Inna Meltser. Todos os três músicos são russos, nascidos na antiga União Soviética, e hoje integram a Osesp, a melhor das orquestras sinfônicas brasileiras.
O programa do recital destaca uma série de obras curtas escritas para violino e piano, a maior parte delas de compositores russos – de Scriabin a Rachmaninoff, de Glinka a Glière. A peça que dá nome ao programa é "Salut d'amour", do inglês Edward Elgar. Na parte final, Yuriy Rakevich recebe Inna Meltser em números para dois violinos: dois duos do compositor austríaco Ignaz Pleyel e o primeiro movimento do "Concerto para 2 violinos BWV 1043" de J. S. Bach, em redução para violinos e piano.

Programação:
• Edward Elgar - Salut d'Amour
• Aleksandr Scriabin - Estudo
• Piotr I. Tchaikovvsky - Valsa sentimental
• Aleksandr Scriabin - Noturno
• Sergei Rachmaninoff - Margaridas
• Piotr I. Tchaikovvsky - Canção sem palavras
• Mikhail Glinka - O rouxinol
• Sergei Rachmaninoff - Romance
• Alexander Glazunov - Meditação
• Reinhold Glière - Romance
• Ignaz Pleyel:
• • • Violin Duo 1 – com Inna Meltser
• • • Violin Duo 2 – com Inna Meltser
• Johann Sebastian Bach - Concerto for 2 violinos BWV 1043, 1º mov. – com Inna Meltser

 

Violinista da OSESP-Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, Yuruy Rakevich, nascido em Leningrado, atual São Petersburgo, na Rússia, começou os estudos musicais aos seis anos em sua cidade natal e, aos 18, foi admitido no Conservatório de Moscou, onde concluiu o curso. Foi solista em inúmeros concertos para violino e orquestra, entre eles os de Sibelius (com V. Sinaisky, na Rússia), nº 5 de Mozart (com S. Carballeda, no México), Tchaikovsky (com Bernal Matos, no México) e de Mendelssohn (com J. B. Ullerich, no México), além da Tzigane de Ravel e do Poème de Chausson (com Fuat Mansurov, na Rússia; e também com Francisco Pereda, no México). Apresentou-se ainda em recitais com o pianista Alexander Bloch na Alemanha e foi integrante do Quarteto Tchaikovsky no México. Trabalhou como concertino da Orquestra Sinfônica de Maily e da Filarmônica de Moscou, na Rússia; como spalla da Orquestra da Ópera e Balé de Belas Artes do México, como solista da Sinfônica de New Hampshire (EUA) e como spalla convidado da Orquestra Sinfônica de Adelaide, na Austrália. É também membro do Quarteto Glazunov.

Nascida em 1979 no Uzbequistão, no período da extinta União Soviética, Olga Kopylova começou a ter aulas de piano aos quatro anos com o pai e aos seis ingressou na Escola Especial de Música Uspensky. Em Moscou, estudou no Colégio de Música Tchaikovsky e depois no Conservatório Tchaikovsky, com as renomadas professoras Tatiana Galitzkaya e Liudmila Roshina, ambas representantes de destaque da escola pianística de Samuil Feinberg. Mudou para o Brasil em 2000, para assumir o posto de pianista da Osesp-Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, onde é titular até hoje. Em 2002 lançou o CD solo Estrela da Manhã, com músicas de compositores russos. Como integrante da Osesp, participou de diversas gravações sinfônicas, com destaque para o premiado CD dos Concertos de Jolivet para trompete e orquestra, com Ole Edvard Antonsen. Como solista, tem realizações à frente de diversas orquestras do Brasil e do exterior, sob regência de John Neshling, Roberto Minczuk, Giancarlo Guerreiro, Valentina Peleggi e Scott Seaton, entre outros. Desenvolve trabalhos camerísticos dentro das séries de música de câmara da Osesp e também ao lado dos solistas internacionais, como Johannes Moser, Nicolas Koeckert, Alexander Chaushian e Ransom Wilson, mantendo formações fixas como o Vesper Trio e Duo Kopylova & Rakevich. Além disso artista promove eventos sócio-educativos voltados para a formação de público e se dedica às atividades pedagógicas.

A violinista Inna Meltser formou-se pelo Conservatório de Leningrado, tendo como professores V. Vilker, V. Bronin e K. Vecsler. Foi spalla do Teatro de Ópera do Conservatório de Moscou, primeiro violino da Filarmônica da mesma cidade e da Orquestra Sinfônica do Estado Soviético. Foi ainda spalla dos segundos violinos da Orquestra Sinfônica de Maliy, na Rússia, assistente de spalla da Orquestra Bellas Artes da Ópera da Cidade do México e assistente de spalla da Orquestra Sinfônica de New Hampshire, nos Estados Unidos. Inna foi assistente de professor de música de câmara na Escola Gnessin e professora do Conservatório Nacional de Música da Cidade do México. Como camerista, apresentou-se com o Quarteto Tchaikovsky (México) e com o Quarteto Glazunov (Brasil), além de realizar recitais e tocar com outras formações. Atualmente integra o naipe de violinos da OSESP-Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo e é professora da Escola de Música do Estado de São Paulo.

 Hotel em Campos do Jordão - Flauta & Piano com o Duo Cerri-Botelho, Sérgio Cerri na flauta e Flávia Botelho no piano, no Toriba Musical do Hotel em Campos do Jordão, Toriba
Sábado, 27 de Abril, 19 horas – Sala da Lareira

FLAUTA & PIANO

Duo Cerri-Botelho
Sérgio Cerri, flauta
Flávia Botelho, piano

Programação:
• Anônimo - Variações sobre Greensleeves
• C. Gluck - Dança dos Espíritos Abençoados
• G. Fauré - Sicilienne
• C. Saint-Saens - O Cisne -
• Pattapio Silva - Serata D'Amore
• Carlos Gomes - Quem sabe?
• Chiquinha Gonzaga - Lua Branca
• H. Villa-Lobos - Melodia Sentimental
• E. Villani-Côrtes - Cinco Miniaturas Brasileiras
• A. Piazzolla:
• • • Oblivion
• • • Adios Nonino
• • • Libertango


Formado por Sérgio Cerri (flauta) e Flávia Botelho (piano), em 2019 o Duo Cerri-Botelho completa 20 de formação. Foi formado em 1999 visando a divulgação do vasto repertório de câmara para flauta e piano. Desde a sua criação tem atuado em diversas cidades brasileiras, nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. O repertório apresentado pelo Duo Cerri-Botelho é bastante eclético e engloba desde a música barroca até a música contemporânea escrita para flauta e piano, incluindo a música brasileira.

programação musical - MAIO 2019

 Hotel em Campos do Jordão - Árias de Óperas com o baixo barítono Wladimir Carvalho e o pianista Antonio Luiz Barker na programação do Toriba Musical, no Hotel Toriba
Sábado, 4 de Maio, 19 horas – Sala da Lareira

ÁRIAS DE ÓPERAS

Wladimir Carvalho, baixo barítono
Antonio Luiz Barker - piano

Programação:
• G. F. Handel - Frondi tenere, e belle ... Ombra mai fù (ópera Xerxes)
• G. F. Handel - Lascia ch'io pianga (ópera Rinaldo)
• W. A. Mozart - Non più andrai farfallone amoroso (ópera As bodas de Figaro)
• W. A. Mozart - Deh, vieni alla finestra (ópera Don Giovanni)
• W. A. Mozart - Madamina, il catalogo è questo (ópera Don Giovanni)
• W. A. Mozart - O Isis und Osiris (ópera A flauta mágica)
• W. A. Mozart - In diesen heil'gen hallen (ópera A flauta mágica)
• G. Rossini - Largo al factotum (ópera O barbeiro de Sevilha)
• G. Verdi - Di Provenza il mar, il suol (ópera La Traviata)
• G. Bizet - Votre toast (Canção do toreador) (ópera Carmen)

 

Nascido em Goiás, Wladimyr Carvalho mudou-se para Ribeirão Preto, SP, em 1982, aos 13 anos. Depois de estudar piano clássico na infância e adolescência, iniciou-se no estudo de canto em 1987. Integrou os corais Grupo Improviso da Escola de Música do Colégio Metodista, o Coral da Igreja Metodista Central, Madrigal Lima Genésio, Madrigal Revivis, Scholla Cantorum da Catedral Metropolitana, Madrigal Minaz, Coral de Câmera Minaz e Coral Lírico Minaz, todos em Ribeirão Preto. Atualmente é coralista e solista junto aos Corais de Câmera e Lírico Sinfônico da Orquestra Sinfônica de Ribeirão Preto e da Sinfonietta Ribeirão Preto. Integrou o elenco de diversas montagens de óperas estúdio, entre elas As Bodas de Fígaro (Fígaro), A Flauta Mágica (Papageno), de Mozart, La Serva Padrona (Uberto), de Pergolesi, e O Barbeiro de Sevilha (Dom Basilio), de Rossini. Participou de vários concertos como solista, interpretando diversos compositores barrocos, clássicos e românticos, sob a batuta de maestros como Sérgio Alberto de Oliveira, Marcos Pupo Nogueira, Jorge Salim, Eduardo Ostergren, Rubens Ricciardi, Roberto Minczuk, Norton Morozowicz, Achille Picchi, León Halegua, Matheus Araújo, Reginaldo Nascimento, Cláudio Cruz, Nazir Bittar, Gian Luigi Zampieri e Linus Lerner. Foi solista na montagem encenada da Nona Sinfonia de Beethoven, realizada em Ribeirão Preto (SP), em 2012, e de Carmina Burana, de Carl Orff, em Ribeirão Preto, em 2006, 2007, 2008 e 2009. Cantou ao lado do renomado trompetista Pierre Dutot no I Festival de Trompetes Maurice André, em 2014, realizado em Ribeirão Preto. Participou de workshops com vários professores e cantores, entre os quais Jeller Felipe, Achille Picchi, Niza de Castro Tank, Fedora Barbieri, Rita Contino, Antonio Ordoñes, Francesca Gualtieri e Richard Prada. Finalista premiado no 4º Concurso Brasileiro de Canto Lírico Maria Callas, em 1999, realizado em Jacareí (SP).

 Hotel em Campos do Jordão - Solos e Duetos com a soprano Gabriella Rossi, a mezzo soprano Elaine Martorano e o pianista Antonio Luiz Barker, no Hotel Toriba, em Campos do Jordão
Sábado, 11 de Maio, 19h – Sala da Lareira
Domingo, 12 de Maio, 11h – Auditório Claudio Santoro (entrada gratuita)

SOLOS E DUETOS

Gabriella Rossi - soprano
Elaine Martorano - mezzo soprano
Antonio Luiz Barker - piano

Programação:
• G. Pergolesi - Stabat Mater Dolorosa
• C. Santoro / V. de Moraes
• • • Amor em lágrimas
• • • Acalanto da rosa
• • • Luar do meu bem
• G. Puccini - Un bel dì vedremo (ópera Madama Butterfly)
• G. Bizet - Habanera (ópera Carmen)
• G. Puccini - Tutti i fiori (ópera Madama Butterfly)
• A. Boublil - I dreamed a dream (musical Les Miserables)
• C. Porter - So in love
• G. Verdi - Stride la vampa (ópera Il Trovatore)
• G. Puccini - O mio babbino caro (ópera Gianni Schichi)
• C. Saint-Saëns - Mon coeur (ópera Samson et Dalila)
• J. Offenbach - Barcarola (ópera Os Contos de Hoffman)


A soprano lírico Gabriella Rossi graduou-se pela UNESP e pelo Ópera Estúdio da EMESP. Atualmente é orientada por Isabel Maresca. Em 2011, foi cantora do Centre de Perfeccionament Plácido Domingo, em Valência, Espanha, onde teve a oportunidade de se apresentar no Teatro Martin I Soler e no Palau de la Música. Participa de diversos festivais e masterclasses, como o 37º e 38º Festivais de Inverno de Campos de Jordão, onde foi aluna ativa da masterclass de Kiri te Kanawa. Trabalha em diversas produções de óperas, geralmente em papeis protagonistas, destacando-se: Lidchka em "Moscow, Cheryomushki", de Shostakovich, Adina em "L'Elisir D'Amore", de Donizetti, Eurídice em "Orpheè aux Enfers", de Offenbach, Änchenn em "Der Freischütz", de Weber, Corilla em "Viva la Mamma", de Donizetti; Fiordiligi em "Così fan tutte", de Mozart, Àngele em "Le Dominò Noir" de Auber, e Hanna em "Die Lustige Witwe", de Lehár. Em 2008 teve seu début internacional no Festival Gilbert and Sullivan, realizado em Buxton, Inglaterra, cantando o papel protagonista (Josephine) e recebendo o prêmio Adjuricator's Award. Em Novembro de 2011 fez seu début no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, cantando Fata Morgana da ópera "L’amour pour trois orange", de Prokofiev. Em Setembro de 2014 debutou Desdemona da ópera "Otello", de Verdi, no Theatro da Paz em Belém, onde teve a oportunidade de trabalhar com Walter Fraccaro.

A mezzo soprano Elaine Martorano vem sendo apontada pelos críticos como uma das mais belas vozes do cenário operístico amazonense, destacando-se por sua excelente qualidade vocal aliada à desenvoltura cênica. No ano de 2004 ingressou no Coral do Amazonas e no mesmo ano alcançou grande destaque como solista no concerto de música sacra barroca, cantando Glória (Vivaldi) e Magnificat (J.S. Bach), entrando definitivamente para a cena lírica do Amazonas. Em 2008, transferiu-se para São Paulo para aperfeiçoar-se em canto, estudando com a professora Lenice Priole e atualmente com o maestro, diretor musical e vocal coach performance Marconi Araújo.

Hotel em Campos do Jordão - Amor e Humor através dos tempos com Claudio Goldman, piano e voz, no Hotel Toriba, em Campos do Jordão
Sábado, 18 de Maio, 19h – Sala da Lareira

AMOR E HUMOR ATRAVÉS DOS TEMPOS

Claudio Goldman - piano e voz

Programa:
No espetáculo "Amor e Humor através dos Tempos" o eclético cantor Claudio Goldman faz um apanhado de originais e versões, em conhecidas canções de todos os tempos – de compositores como Gioachino Rossini, Giacomo Puccini, Giuseppe Verdi, George Gershwin, Leonard Bernstein, Chico Buarque –, indo do drama à comédia de maneira descontraída.


Claudio Goldman, 56, é cantor, pianista, versionista, produtor. Nasceu em família de músicos: pai formado em piano clássico, mãe cantora e professora de violão, avô violinista. Estudou música desde os 3 anos de idade, bateria aos 7, piano aos 12, canto aos 18 anos com Helly-Anne Karam. Deixou a Faculdade de Economia na PUC para cursar Composição e Regência na Unesp e na Fap-arte. Começou a fazer shows em 86 e profissionalizou-se em 90, deixando um emprego em banco para viver de música, gravando jingles, fazendo shows e participando de festivais. Em 1991, cantou durante 8 no casino Estoril, Portugal. Voltando ao Brasil, em 92, apresentou-se em programas de TV como Domingão do Faustão, Jô Soares, Hebe, e passou a fazer shows por todo o Brasil. Fez muitos shows corporativos, apresentou-se em resorts, navios, entre outros. Em 97, lançou seu primeiro CD com direção musical de Sérgio Sá, sendo indicado ao prêmio Sharp como cantor revelação e integrando a trilha sonora da novela Anjo Mau, da Rede Globo. Concorreu ao Prêmio Visa, integrou o elenco do musical “O Fantasma da Ópera”, que não chegou a realizar, e tornou-se Chazan (cantor litúrgico judaico) do Clube A Hebraica, permanecendo nesta função por 9 anos. Em 2010, apresentou-se no Festival de Inverno de Campos do Jordão com seu show Versão Brasileira, que circulou pela Apaa no Estado de São Paulo. Apresentou-se no Bourbon Street e no Bourbon Street Jazz Festival em Campos do Jordão. Em 2013 e 2014, produziu e protagonizou o musical “Pour Elise”, de Flavio de Souza, no Teatro Folha, dirigido por Pamela Duncan, dividindo o palco com Gabriela Alves Toulier e Lui Strassburger, obtendo sucesso de critica e publico. Em 2017, igualmente produziu e protagonizou o musical “Toda vez que eu digo adeus”, em parceria com o diretor e escritor Gerson Steves. Em 2019, ficou em cartaz com o show “Concertando a Broadway”, também em parceria com Gerson Steves, no Teatro Sérgio Cardoso.

 Hotel em Campos do Jordão - Violão Clássico, homenagem a Villa-Lobos, com Yuri Marchese, no Hotel em Campos do Jordão, Toriba
Sábado, 25 de Maio, 19h – Sala da Lareira

HOMENAGEM A VILLA-LOBOS
60 anos de falecimento do compositor

Yuri Marchese - Violão

Programa:
• H. Villa-Lobos - Doze estudos (1928-29)
• • • Nº1 Animé (des arpéges)
• • • Nº2 Trés animé (des arpéges)
• • • Nº3 Un peu animé (des arpéges)
• • • Nº4 Un peu modere (Des accords répetés)
• • • Nº5 Andantino
• • • Nº6 Un peu animé
• • • Nº7 Trés animé | Moderé
• • • Nº8 Moderé
• • • Nº9 Un peu animé
• • • Nº 10 Trés animé |Un peu animé | Vif.
• • • Nº11 Lent | animé
• • • Nº 12 Un peu animé

• H. Villa-Lobos - Cinco prelúdios (1940)
• • • Nº1 Andantino espressivo
• • • Nº2 Andantino
• • • Nº3 Andante; Molto adagio (e dolorido)
• • • Nº4 Lento; animato; moderato; lento
• • • Nº5 Poco animato

 

Nascido em Vitória, ES, Yuri Marchese formou-se pela Universidade Estadual de Londrina, com Mestrado em Música pela Universidade de Aveiro, em Portugal. Já se apresentou em diversas brasileiras e também em Portugal, Espanha e República Tcheca. Tem participado de vários festivais e séries internacionais de concerto, como o Festival de Música de Londrina, o Young Prague Festival, na República Tcheca, e a Semana da Guitarra de Águeda e o Zêzere Arts Festival, estes em Portugal. Atua como professor há mais de dez anos, tendo trabalhado em Portugal no Conservatório de Música de Coimbra e no Conservatório David de Souza em Figueira da Foz. Reside atualmente em Londrina, Paraná.